Tiradentes
Monumentos Civis

Arquitetura residencial: Em 1938 a cidade de Tiradentes foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Devido a isso as construções se encontram conservadas e quase intactas. Aqui, são inúmeros exemplares de arquitetura residencial do século XVIII que podem ser apreciados.

Casa da Câmara: Construção do início do século XVIII, neste casarão se reunia o Senado da Câmara desde 1718 e onde o pai do alferes, Domingos da Silva Santos, exerceu o cargo de Vereador. O prédio servia para recepcionar os Imperadores e pessoas ilustres que visitavam a cidade de São José del-Rei e Tiradentes. Funcionou em seu porão uma cadeia improvisada entre 1825 a 1840, enquanto a cadeia estava sendo reconstruída devido a um incêndio.

Centro Cultural Yves Alves: Aproveitando a fachada existente, seu interior foi construído nos moldes da arquitetura colonial. Foi instalado com o objetivo de receber os diversos eventos da cultura local.

Chafariz de São José: É considerado o mais belo chafariz de Minas Gerais. Foi construído pela Câmara Municipal para abastecer a cidade de água potável, lavagem de roupas e bebedouro para cavalos. Em sua fachada há a imagem de São José de Botas e um brasão da Coroa Portuguesa. A água que abastece o chafariz nasce no Bosque da Mãe D’Água e é conduzida em um aqueduto de pedra.

Maria Fumaça e Estação Ferroviária: A estação da antiga EFOM - Estrada de Ferro Oeste de Minas é um bonito prédio construído em 1880/1881, em estilo característico da arquitetura ferroviária, com lambrequins e telhas marselhesas, vindas da França. Ainda estão em funcionamento as locomotivas a vapor que datam do início do século XX. A locomotiva, hoje usada apenas para fins turísticos, corre entre São João del-Rei e Tiradentes nos finais de semana e feriados.

Largo das Forras: O largo fica na região central da cidade e nele se destaca o antigo casarão do final do século XVIII, onde atualmente funciona a Prefeitura Municipal. O projeto paisagístico do largo foi criado pelo renomado artista Roberto Burle Marx.

Museu da Arte Sacra: A antiga cadeia pública foi destruída por um incêndio em 1829 e reconstruída em 1835. As características de cadeia não se perderam após a reforma, e foram mantidas as pesadas grades de ferro que encerram as janelas do prédio. O imóvel abrigará o Museu de Santanas.

Museu Padre Toledo: A casa, que hoje abriga um rico mobiliário mineiro e diversas obras de arte, foi no passado casa do Padre Carlos Correia de Toledo Melo e sede de reuniões da Inconfidência Mineira.  É considerada a construção com maior concentração de pinturas de teto em Minas Gerais. 

Ponte de Pedra: Construída em arcos romanos no final do século XVIII, para dar acesso à igreja de Nossa Senhora das Mercês.